terça-feira, 13 de fevereiro de 2007


Dizem que ...

" ... o fim deste eftabelecimento he o de animar as Letras, e levantar huma impreffão util ao público pelas fuas producções, e digna da Capital deftes Reinos" [Alvará Régio de 24 de Dezembro de 1768]

"Soneto garantido por dois anos / E é muito já, leitor que mos compraste / para encontrar a alma que trocaste / por rádio, frigoríficos, enganos ... // Essa tristeza sobre pernas faz-te temeroso e cruel e tonto e traste. / Nem pior nem melhor que outros fulanos, / não vês a Bomba e crês nos marcianos ..." [de mestre O'Neill]

"Dizem que me Junqueiro, que me tolentino
a até que me Paulino,
que tenho tudo e todos no ouvido
e não sou nada original
" [Alexandre O'Neill]

“"Fomos um para o outro todo um mobiliário ritualmente manejado e algumas vezes a missa foi recíproca muito embora não chegássemos a entrar nesse ar maravilhosamente rarefeito que é o próprio dos grande amantes e que fez subir o quarto onde eles têm a vida por um fio por um mesmo fio para fora de qualquer murmúrio que da vida corrente teime em vir" [ainda ... O'Neill]

"Há a mulher que me ama e eu não amo.
Há as mulheres que me acamam e eu acamo.
Há a mulher que eu amo e não me ama nem acama.
...
Upa garupa na mulher que me acama,
que a outra é contigo, coração que bem queres
sofrer pelas mulheres ...
" [de novo O'Neill]

Boa noite!